Revista Lideranças

Revista Lideranças, muito obrigado pela oportunidade de expor algumas ideias e opiniões sobre os momentos que estamos passando em nosso pais.




Você está com problemas na cadeia de suprimentos?

Você está com problemas na cadeia de suprimentos (s o f r i m e n t o s...)?

O que fazer com os seus fornecedores “quebrando”?

Na atual conjuntura econômica onde os indicadores macroeconômicos dos últimos dois anos estão desfavoráveis e impactando diretamente na cadeia de suprimentos, com muitos elos da corrente rompendo, onde vários players estão quebrando, entrando em concordata, demitindo funcionários, reduzindo jornadas de trabalho ou fechando unidades de negócios...

Você está passando por esta situação?



Como dizia Harry Truman:

"O progresso acontece quando líderes corajosos e hábeis agarram a oportunidade para mudar as coisas para melhor".

Continue lendo este artigo que vou te dar 5 dicas de como mudar as coisas para melhor junto a sua Supply Chain:

Dica # 1 - Avaliação de Riscos



     Nestes tempos difíceis, crie uma metodologia para avaliar os riscos na sua cadeia de suprimentos, ou seja, você pode usar ferramentas de análise disponíveis no mercado para ver onde existem elos fracos e preparar planos de ações para superar as surpresas com o fechamento de empresas, por exemplo.

     Ainda dentro deste tópico, você pode criar um comitê de análise de riscos de suprimentos com colaboradores de diversas áreas da organização. Onde: pode-se discutir os maiores riscos e elaborar alternativas para futuros desafios.

Dica # 2 - Acompanhamento de mercado


     Fique atento as notícias do mercado em geral e acompanhe de perto o que está acontecendo com seus parceiros comerciais. Logo abaixo te dou um exemplo prático desta dica:

     "Outro dia eu ví na Internet que uma empresa de outro ramo de negócios, diferente do meu havia pedido concordata".

       E o que tem há ver comigo? Nada? Tudo! Por quê?

   Esta empresa que havia solicitado concordata era uma das maiores clientes de um dos nossos fornecedores.

       E o que aconteceu com o nosso fornecedor?

   Devido à dependência que ele tinha deste outro cliente que havia pedido concordata, a consequência foi que,  o nosso fornecedor colocou seus funcionários de férias e mais adiante pediu concordata também, afetando diretamente as entregas para a nossa linha de montagem!

   Sugestão que dou para você: visite regularmente seus parceiros, fornecedores, clientes, etc. o velho "olho no olho"!



Dica # 3 - Plano de desenvolvimento de parceiros




     O que você pode fazer pela sua Supply Chain?

     Bem, o que posso te dizer é que no passado já desenvolvi planos de desenvolvimento de cadeia de suprimentos, e como consequência deste programa é uma melhora considerável no desempenho dos fornecedores, blindando-os para momento de crise.

     E como você pode fazer este desenvolvimento?

     Uma das receitas é usar entidades que tem programas de desenvolvimento de fornecedores já elaborados, abrangendo desde o planejamento estratégico, posicionamento de mercado, controladoria, fluxo de caixa e operações.

   Reúnem-se os fornecedores alvo do programa de desenvolvimento organizacional e a sua empresa entra como companhia apoiadora do programa, podendo dividir os custos ou não. Uma dica que te dou é usar as unidades do SEBRAE ou universidades da sua região, que já possuem verba direcionada para estes programas.

Dica # 4 - Crie a cultura multi-fontes



Cuidado...você está na dependência de somente uma alternativa?



     Você pode avaliar a sua lista de parceiros, fornecedores, clientes e prestadores de serviços e analisar o nível de dependência que sua companhia tem dos mesmos. 
    
     Existem ferramentas no mercado e boa literatura para serem usadas e depois plotar os dados, emitindo diagnósticos de dependência de sua cadeia, depois use-as para planos de ação, mas inicie logo a busca de alternativas para suas parcerias comerciais, pois em momentos de crise ficar dependendo somente de uma fonte ou somente de um tipo de mercado poderá ser fatal para o seu negócio, inclusive para a sua carreira profissional!

     Outra dica que te dou neste tema da dependência é: crie a cultura em sua empresa junto aos seus colaboradores para sempre desenvolvermos produtos ou serviços que não fiquem focados somente em um só fornecedor ou um só mercado, a velha máxima da vovó: "não coloque todos os ovos em uma só cesta!".

Dica # 5 - Seja rápido!
Você fez tudo certinho, mas ainda encontra problemas?

- Então, após você avaliar o risco de mercado, parceiros e fornecedores;
- Você acompanha de perto os movimentos do mercado;
- Desenvolve os fornecedores que querem ser desenvolvidos;
- Você criou alternativas para futuros problemas...
      
           Mas mesmo assim, ainda aparecem surpresas que você não contava...

         Dica: avalie o desafio rapidamente e aplique a sua estratégia com velocidade máxima, pois a crise está aí e não perdoa falta de foco e objetividade!

          Não resolve você ter as ferramentas, planos de ação, comitês e etc. e tal, se não for efetivo e veloz na busca de soluções para mudança de cenário.

           Abs e boa sorte!

     Se você está gostando desse artigo e quer ajudar mais as pessoas a enfrentarem seus desafios na cadeia de suprimentos, ajude a divulga-lo e compartilhe.








Como será o futuro do mercado de máquinas agrícolas brasileiro?

Pense comigo: O mercado de venda de tratores e colheitadeiras nos últimos 4 anos teve uma queda em média de 45%! Mas, está retomando!


Primeiramente, para explicar esse declínio, vou mostrar para você às estatísticas na venda de tratores e colheitadeiras no mercado brasileiro comparando os últimos quatro anos e suas consequências para a cadeia produtiva. Acompanhe a análise no infográfico abaixo e você verá números surpreendentes na indústria de máquinas agrícolas brasileira, segundo a ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores):

Infograma - Revista Lideranças Setembro, 2016


O mercado de máquinas agrícolas está retomando e o momento  é de otimismo para os fabricantes. Otimismo, 2017 já será melhor!

Veja a análise completa e a opinião deste mercado na http://grupoliderancas.com.br/revista-05/ pags 30 e 31





Como atingir Reduções de Custos de forma consistente?

A maioria das organizações, principalmente em momentos de crise, cobra de você reduções de custos!

É prioritário o tema de redução de custos dentro das empresas, e aí você recebe pressão para atingir resultados e melhorar a lucratividade dos produtos, certo?

Está sendo pressionado para reduzir custos?

Você está sentindo isto?

Então você e seus líderes saem correndo para todos os lados buscando reduzir custos, pedindo descontos para os fornecedores, trocando os fornecedores por outros mais baratos e assim tentando atingir os resultados de curto prazo.



Pergunto:

A sua empresa tem metodologia de redução de custos, ou melhor, de inovação?

Você possui ou a sua empresa tem foco para inovar e reduzir custos?


Se as respostas para as perguntas acima é não, então continue lendo este artigo..., pois tenho um caminho para te propor!



Um bom caminho a seguir é criarmos times de redução de custos com o foco nos principais insumos usados em sua companhia, mas o importante é você usar ferramentas de inovação e de follow-up em seu cotidiano.

Nada adianta você fazer tempestade de ideias e não conseguir implementar o que foi proposto, por isto, tome cuidado! Não esqueça de usar um processo de criação e controle.

Uma sugestão que te dou é estudar o modelo A-F do Philip Kotler, porque é um instrumento que você facilmente poderá aplicar na sua organização.

Além disto, você define os papéis de cada ator no processo de criação, inovação e implementação das reduções de custos. 
Preste atenção a esta dica que estou te dando, muitas iniciativas naufragam ao longo do tempo devido a falta de foco e da definição de quem faz o que. Então mão à obra! Estude e aplique o método A-F, e boa sorte com as sua conquistas de reduções de custos!


Deixe um comentário logo abaixo sobre o que você mais gostou nesse artigo, ou sobre alguma dica extra que você deseja compartilhar conosco ou até mesmo alguma crítica sobre esse texto.